Participamos da CASACOR Brasilia

A PREMOLDADO BRASIL apresenta na CASA COR Brasília o novo combogó GOLUBOV, desenhado pelo premioado escritório DOMO Arquitetos em homenagem ao professor, artista, arquiteto e geômetra brasiliense Jayme Kerbel Golubov.
Os arquitetos Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Mateus Seco utilizam o combogó GOLUBOV na Fachada da CASA COR Brasília e no ambiente I LOFT YOU.

CLIQUE AQUI PARA VER A REVISTA

Prêmio: O Melhor da Arquitetura

Caros amigos,
Temos o prazer de informá-los que a parceria DOMO Arquitetos e VITOR ODISIO Engenharia na construção da Casa Tangram utilizando combogos da Premoldado Brasil foi premiada com o 1º lugar na categoria residencial cidade de 200 a 500m2 do prêmio Melhor da Arquitetura 2010 promovido pela Editora Abril.

Os vencedores do concurso foram escolhidos por voto popular e por um júri misto, formado por jornalistas, arquitetos e formadores de opinião. Na cerimônia de entrega dos prêmios, realizada no Memorial da América Latina, em São Paulo, os autores dos melhores trabalhos foram homenageados e receberam um certificado e o troféu “O Melhor da Arquitetura 2010”, além de terem seus trabalhos publicados na Revista ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO que circula durante o mês de novembro. A residência coincidentemente foi publicada na íntegra também na edição de Outubro.

Cobogó: uma invenção de luz

Vistos em muitos prédios e fachadas de casa em Brasília, os cobogós invadem os ambientes internos. De diversos materiais, funcionam como divisórias e dão um charme especial à decoração

Elementos vazados que imprimem um estilo único em projetos residenciais e prédios governamentais do início dos anos 1960 em Brasília, os cobogós passaram para o lado de dentro dos ambientes e se tornaram queridinhos na decoração. Não mais destinados apenas à função de revestimento externo, eles assumiram o papel de divisor de ambientes dentro de apartamentos e casas, dando ao espaço um design bem brasileiro.

Atentos a esse novo objeto de desejo, fabricantes brasileiros lançam diferentes modelos — em cores e estilos — para agradar todos os públicos. Esse é um dos fatores que respondem por um aumento de demanda desse tipo de intervenção nos projetos das arquitetas Flávia Amorim e Renata Melendez. “Até pouco tempo, não havia essa gama de opções e só os encontrávamos em loja de construção. Por isso, hoje mais clientes pedem cobogós dentro de casa”, recorda Renata.

De cerâmica, tijolo, vidro, cimento ou adesivo, essa invenção, que já soma mais de oito décadas de sucesso, ainda é uma solução sustentável na arquitetura, ao proporcionar entrada de luz, mas não de forma excessiva, e circulação do ar nos ambientes. Além disso, sua aplicação é democrática. Os cobogós podem ser instalados em banheiros, ambientes sociais ou de serviço, fachadas, muros de entrada da casa, closets e quartos. “Na divisão de dois ambientes, os cobogós mantêm a privacidade de cada um e proporciona a sensação de permeabilidade que as paredes geralmente quebram”, confirma a arquiteta Renata Dutra.

» Você sabia?
Invenção pernambucana, os cobogós são resultado da inspiração nos muxarabis, tramas vazadas de madeira muito usada na arquitetura árabe, presente no início da colonização de Pernambuco. Criados pelos engenheiros Amadeu Oliveira Coimbra, Ernest August Boeckmann e Antônio de Góis, na década de 1930, foram batizados com esse nome, e assim patenteados, que nada mais é que a junção das iniciais do sobrenomes de cada um do inventores.